Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados da Ásia ficam para cima com EUA

Data de criação:

access_time 28/12/2020 - 09:57

Data de atualização:

access_time 28/12/2020 - 09:57
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações da Ásia fecharam em campo positivo nesta segunda-feira (28). Os Estados Unidos ficaram no radar, bem como as restrições para impedir o avanço do coronavírus.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda 0,27% aos 26.314 pontos. O índice Xangai, China, ficou estável aos 3.397. O índice Shenzhen Composite ficou estável a 2.273 e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 1,19%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,74% aos 26.854. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,07% aos 2.840. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,81% aos 47.353. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,33% aos 6.664. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,06% a 2.808 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em alta de 1,06% aos 14.483 pontos.

O índice regional MSCI Asia Pacific subiu 0,3%, com avanços de 0,74% no Nikkei225 do Japão.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu, com as ações das empresas de tecnologia afetadas por ações regulatórias do governo chinês.

O iene ficou desvalorizado frente ao dólar depois que o governo japonês proibiu a entrada de estrangeiros até janeiro como medida para evitar a introdução da nova cepa de Covid-19.

Na China, o lucro industrial de novembro desacelerou em relação aos meses anteriores, passando de +28,2% YTD para +15,5% YTD.

Ainda com o foco nos Estados Unidos, os comerciantes da região ficaram atentos na decisão do presidente Donald Trump em assinar o acordo de estímulo fiscal de US$ 900 bilhões aprovado no Congresso.

A decisão de Trump em assinar ocorreu neste domingo, com os recursos não chegando ao bolso do cidadão americano antes do Natal. A medida deve diminuir ligeiramente a ajuda concedida para algumas categorias de seguro desemprego, mas é um sinal positivo para o final do ano. O valor do cheque que será enviado é de US$600 e um adicional de US$300 no auxílio-desemprego.

Entre as ações com ganhos no Nikkei ficaram as da Hino Motors, alta de 4,85%, as da Kawasaki Hevay, alta de 5,06%, e as da Japan Steel, alta de 3,25%.

No Japão, a produção industrial ficou estável em novembro no comparativo mensal (preliminares) a 95.2. Os embarques caíram 0,9% no mês a mês a 94.0. Os estoques caíram 1,1% no mês a mês a 94.6. A relação estoque mostrou queda de 1,8% mês a mês a 111.9. Os dados são do Governo do Japão.

*Tradução ID de relatórios e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?