Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados da Ásia recuam forte com a Covid-19 subindo na Índia

Data de criação:

access_time 12/04/2021 - 10:29

Data de atualização:

access_time 12/04/2021 - 10:29
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações asiáticas recuaram nesta segunda-feira (12/04), com destaques para o Nikkei 225 do Japão e para o Sensex da Índia. Na China, os investidores estão cautelosos com a probabilidade de um aperto monetário, depois que os dados econômicos estão superando as projeções.

Índices: o Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 0,86% aos 28.453. O Xangai, China, ficou em queda de 1,09% aos 3.412. O Shenzhen Composite ficou em queda de 2,13% aos 2.188 e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 2,12%. O Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,77% aos 29.538. O Topix caiu 0,79% aos 1.951. O Sensex, bolsa de Mombai, ficou em queda de 3,44% aos 47.883. O XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,30% aos 6.974. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em alta de 0,12% aos 3.135. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou estável aos 16.859. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,33% aos 3.173. O índice regional de ações MSCI Asia Pacific caiu 0,90%.

As ações da China caíram pressionadas pelos estoques de materiais e transporte, já que as preocupações com o aperto da política monetária persistiram. As notícias de que Pequim pretende impor forte controle sobre as compras de commodities também pesaram no sentimento.

Na Índia, o índice Sensex escorregou quase 4% com o aumento descoordenado dos casos de Covid-19. A rúpia caiu para o pior resultado em oito meses, com os possíveis bloqueios e ameaçando inviabilizar a recuperação na terceira maior economia da Ásia. A rupia caiu para 75,1375 em relação ao dólar.

No ranking global, o país ultrapassou novamente o Brasil como o segundo mais atingido pela pandemia de coronavírus. De acordo com a plataforma da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, a Índia estava com 13.527.717 casos confirmados de Covid-19 e com 170.179 mortes.

No Japão, as ações terminaram em queda e arrastadas por perdas das ações da Yaskawa Electric, com a gigante de fabricação de robôs sinalizando lucros abaixo das expectativas do mercado. A queda penalizou também as demais ações do setor de tecnologia. As ações da Yaskawa Electric caíram 7,11%.

Entre as ações com ganhos no Japão ficaram as da Nippon Paper, alta de 1,63%, as da Smuitomo Oska, alta de 1,52%, e as da Kubota, alta de 1,76%. Na contramão ficaram as da Mitsui, queda de 5,46%, e as da Nippon Yusen, queda de 6,02%.

O processo de vacinação lento em território japonês também contribuiu para a aversão ao risco.

No Japão, o índice de Preços do Produtor subiu 0,8% em relação ao mês anterior. O índice de Preços de Exportação (com base na moeda do contrato) subiu 1,1% em relação ao mês anterior. O índice de Preços de Importação (moeda de contrato) aumentou 1,7% em relação ao mês anterior. Os dados são do Banco Central do Japão.

Na China, os bancos chineses concederam 2,73 trilhões de yuans (US $ 416,58 bilhões) em novos empréstimos em março, ante fevereiro e superando as expectativas dos analistas. A oferta monetária ampla M2 cresceu 9,4% em relação ao ano anterior, mostraram dados do Banco do Povo da China. Os empréstimos pendentes em yuans cresceram 12,6% em comparação com o ano anterior, em comparação com o crescimento de 12,9% em fevereiro.
*Tradução ID com Reuters Internacional

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?