Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados da Ásia recuaram com a China e o temor pela Covid-19

Data de criação:

access_time 24/03/2021 - 10:31

Data de atualização:

access_time 24/03/2021 - 10:31
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Na Ásia, os principais índices acionários recuaram nesta quarta-feira (24/03), com as atenções voltadas para a China pelo aumento das tensões com os Estados Unidos e também com a probabilidade de aperto monetário. No Japão, as atenções estavam voltadas para o avanço da pandemia no mundo.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 2,03% aos 27.918 pontos. O índice Xangai, China, ficou em queda de 1,30% aos 3.367 pontos. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 1,41% a 2.166 pontos e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 1,41%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 2,04% aos 28.405 pontos. O índice Topix caiu 2,18% aos 1.928 pontos. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou estável aos 3.133 pontos. O índice Sensex, bolsa de Mombai, ficou em queda de 1,74% aos 49.180 pontos. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,50% aos 6.778. O índice Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,28% aos 2.996. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,90% aos 16.032 pontos. O índice regional MSCI Asia Pacific caiu 1,21%.

As ações chinesas caíram para seu menor valor em três meses, com o apetite ao risco piorando ante as preocupações de um aperto das políticas e aumento das tensões entre a China, Estados Unidos e Europa.

Sobre a pandemia, a Comissão Nacional de Saúde da China disse que foram administradas 82,85 milhões de doses de vacinas COVID-19 até ontem.

Ainda na região, entre os setores que recuaram estavam as ações de consumo, refletindo as preocupações dos investidores com o avanço da pandemia de Covid-19 forçando o fechamento das economias em várias partes do mundo.

O índice Nikkei também caiu, ante a cautela pelo retorno dos bloqueios do coronavírus na Europa e a queda dos preços do petróleo. Na mesma linha ficaram as ações das empresas de energia, com atenção para o recuo na demanda pelas novas medidas restritivas, principalmente, na maior economia da Europa, a Alemanha

Na Austrália, a prévia para o índice de Saída Composto está em 56,2 para março; o índice de Atividade Empresarial de Serviços está em 56,2; o índice de produção de Manufatura está em 56,0, o índice Fabricação está em 57,0 para março. Os dados são do IHS Markit.

No Japão, o índice de Preços do Produtor de Serviços (todos os itens) caiu 0,1% em relação ao ano anterior. A estimativa apontava para -5%. O Índice de Preços do Produtor de Serviços (todos os itens -exceto transporte internacional-) manteve-se inalterado em relação ao ano anterior. Os dados são do Banco Central do Japão.

No Japão, a prévia para o índice Composto está em 48,3 para março; o índice de Serviços está em 46,5 para março; o índice de Saída de Manufatura está em 52,0 para março. Os dados são do Jibun Bank.

No Japão, as exportações em fevereiro de 2021 subiram US$ 502 milhões (2%) para US $ 32.113 milhões. As importações em fevereiro de 2021 subiram US$ 577 milhões (2%) para US$ 24.013 milhões. Os dados são do Governo Australiano.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?