Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados da Ásia subiram e números da China recuram

Data de criação:

access_time 17/05/2021 - 10:15

Data de atualização:

access_time 17/05/2021 - 10:15
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações da Ásia fecharam com ganhos nesta segunda-feira (17/05), com os investidores analisando os desempenhos dos demais mercados nas negociações da semana passada. Os dados da China ficaram no radar.

Índices: o Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,59% aos 28.194. O Xangai, China, ficou em alta de 0,78% aos 3.517. O Shenzhen Composite ficou em alta de 1,15% aos 2.320 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 2,57%. O Sensex, bolsa de Mumbai, ficou em alta de 1,74% aos 49.580. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,92% aos 27.824. O índice Topix ficou em queda de 0,24% aos 1.878. O XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,13% aos 7.023. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,60% aos 3.134. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 2,99% aos 15.353. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,81% aos 3.079.

Na China, os ganhos ficaram com as ações de saúde. Os dados econômicos, como produção industrial e vendas no varejo, ficaram entre as análises do dia.

No Japão, os índices de ações recuaram. No país está elevada a preocupação com o processo lento de vacinação. Apenas pouco mais de 3% da população receberam doses da vacina contra a Covid-19.

Por lá, o índice de preços de bens corporativos (CGPI), que mede o preço que as empresas cobram umas das outras por bens e serviços, subiu 3,6% em abril em relação ao ano anterior, mostraram dados do Banco do Japão. O aumento foi o mais rápido de desde setembro de 2014.

O aumento de abril foi impulsionado, em grande parte, pelos custos mais altos das commodities, com os preços dos produtos petrolíferos aumentando 39,3% em relação ao ano anterior e os preços dos metais não ferrosos aumentando 35,2%.

Na China, em abril, os investimentos em ativos fixos subiram 19,9%, ano a ano, acima dos 19,0% projetados.

As vendas no varejo subiram 17,7% em relação ao ano anterior, ficando abaixo das estimativas de 24,9%.  Em março, as vendas no varejo cresceram 34,2%.

Já a produção industrial, em termos homólogos, subiu 9,8% em abril, depois de uma expectativa de 10,0% e alta em 14,1% em março. Em abril, a produção ficou em alta de 20,3% no comparativo anual, sendo que a expectativa apontava para 21,1%. Os dados são do Governo da China.

*Tradução ID com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?