Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

MODALMAIS: Bovespa acompanha mercado internacional

Data de criação:

access_time 10/01/2020 - 11:48

Data de atualização:

access_time 10/01/2020 - 11:48
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Enquanto os três principais indicadores do mercado acionário americano batem recordes históricos de pontuação, a Bovespa amargou o pregão consecutivo de queda. Ontem, foi mais um dia em que operamos na contramão, com queda de 0,26% e índice em 115.947 pontos. Isso depois de termos batido recorde em 03/1 aos 118.791 pontos.

Aqui o comportamento das commodities no mercado internacional interferiram nas cotações de Vale e siderúrgica, Petrobras com incertezas sobre formulação de preços de derivados e o setor financeiro com boas quedas no dia de ontem, justificam o comportamento dos principais ativos negociados. Ocorre que, com as quedas recentes, o preço do petróleo no segmento internacional já voltou ao patamar de antes da crise geopolítica com o Irã

Hoje, os mercados da Ásia terminaram o dia novamente com altas, A Europa também com viés positivo no início dos trabalhos e os índices futuros do mercado americano também novamente no campo positivo. Aqui há espaço para recuperação, mas os investidores estrangeiros seguem retirando recursos da Bovespa. O fluxo até o dia 07 estava negativo em R$ 1,45 bilhão.

Ontem, nos EUA, a Câmara aprovou lei que limita o poder de Trump de usar a força contra o Irã, podendo fazer somente em situação extrema e/ou com aprovação do Congresso. O senado pode alterar isso. Hoje acompanhamos a divulgação de dados do Payroll de dezembro que subiu em 145 mil e manteve a a taxa de desemprego em 3,5%, considerando o bom momento da economia. Por aqui, a divulgação da inflação oficial pelo IPCA está no radar, enquanto a queda na produção industrial pode seguir fazendo efeito.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado na Bolsa Mercantil de Futuros em Nova York mostrava queda de 0,39%,com o barril cotado a US$ 59,33. O euro era transacionado em leve alta para US$ 1,109 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em queda para 1,853%. O ouro e a prata tinham quedas na Comex e commodities agrícolas com viés de alta na Bolsa de Chicago. O preço do petróleo referência, Brent, segue em queda de 077% aos US$67,47 o barril negociado na Bolsa Mercantil de Futuros em Londres.

Aqui, o funcionalismo federal está aumentando a pressão sobre Bolsonaro por reajuste de salários e isso não é bom, com ameaças de paralisação. O presidente Bolsonaro também disse que o governador do Estado de São Paulo, João Dória, está desinformado sobre a privatização do porto de Santos e São Sebastião e disse que falta fazer as reformas administrativa e também a tributária, ambas bastantes complicadas, segundo nossa avaliação.

No mercado, a Bovespa dá sinais de acompanhar o bom momento dos mercados no exterior que retratam redução do ruído geopolítico e acordo comercial entre EUA e China, com dólar um pouco mais forte e juros na dependência do IPCA de 2019.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?