Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Nova onda da COVID-19 mexe com mercados asiáticos

Data de criação:

access_time 06/08/2020 - 10:34

Data de atualização:

access_time 06/08/2020 - 10:34
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores da Ásia fecharam sem direção, com grande parte dos índices em campo positivo. Ficou entre os destaques a discussão sobre o pacote nos Estados Unidos. Porém, nova onda da COVID-19 segue preocupando as autoridades da região.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,69% aos 24.930. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,26% aos 3.386. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,62% a 2.304. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,43% aos 22.418. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 1,04% aos 2.559. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,33% aos 2.342. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,96% aos 38.025. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,87% aos 12.913. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,68% aos 6.042.

Sem nenhuma novidade, os investidores também estavam observando para ver se os legisladores avançariam com novos estímulos para a economia dos Estados Unidos.

Na região asiática, o número crescente de casos de coronavírus continua sendo uma preocupação, como vem ocorrendo em outros países. Na Espanha, as autoridades estão alertando para uma recaída. Os números continuam aumentando nos Estados Unidos.

Em Hong Kong, as autoridades relataram 85 casos confirmados recentemente, quase todos não rastreáveis ​​ou transmitidos localmente.

No Japão, o prefeito de Aichi, onde a Toyota Motor Corp tem sua sede, declarou estado de emergência, dizendo que os casos confirmados recentemente aumentam mais de 100 diariamente. Antes disso, os casos diários ficaram em zero por longos períodos.

O governador Hideaki Ohmura disse aos repórteres que as empresas estão sendo orientadas a fechar completamente ou mais cedo e as pessoas a ficarem em casa à noite para impedir a propagação de infecções.

As solicitações continuam até 24 de agosto, um período que coincide com as férias japonesas em Obon, quando escolas e muitas empresas fecham.

Na agenda da região estava vazia.

*Tradução ID de relatórios e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?