Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Pressão entre a China e os EUA pesa nos mercados da Ásia

Data de criação:

access_time 24/07/2020 - 10:07

Data de atualização:

access_time 24/07/2020 - 10:07
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores da Ásia recuaram forte nesta sexta-feira, com o aumento da tensão entre os Estados Unidos e a China. Pesou também o resultado de Wall Street no fechamento de ontem, com a queda de ações no setor de tecnologia. Os mercados do Japão estão fechados com feriado.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 2,21% aos 24.705. O índice Xangai, China, ficou em queda de 3,86% aos 3.196. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 5,00% a 2.138. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,26% aos 2.579. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,71% aos 2.200. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou estável aos 38.128. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,88% aos 12.304. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 1,16% aos 6.024.

Hoje, a China ordenou o fechamento do consulado dos Estados Unidos na cidade ocidental de Chengdu, em retaliação pelo fechamento do Consulado chinês em Houston, Texas, na terça-feira (21), com as acusações de espionagem.

Já nesta quinta-feira (23), o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, também mirou a China. Pompeo pediu para que Washington e seus aliados usem “maneiras mais criativas e assertivas” para pressionar o Partido Comunista Chinês a mudar seus caminhos.

Na semana passada, o presidente Donald Trump fez uma nova ameaça contra os representantes do Partido. Trump disse que estudava proibir a entrada deles nos Estados Unidos. Mais, Trump faz ameaças diárias contra a China quando se refere ao coronavírus como “vírus chinês”.

Na Austrália, a prévia do PMI para os Negócios de Serviços do Commonwealth Bank seguiu em expansão até o dia 20 de julho em 58,5, alta em relação aos 53,1 até 20 de junho. O resultado é o maior desde maio de 2016. A prévia do índice PMI de Fabricação está em 53,4 até 20 de julho, acima de 51,2 até 20 de junho. O resultado é o maior desde abril de 2017. A prévia do PMI de Manufatura estava em 57,9 até 20 de julho, alta ante os 52,7 de 20 de junho.

*Tradução ID de relatórios e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?