Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Tensão entre EUA e Oriente Médio pesa no humor dos mercados europeus

Data de criação:

access_time 03/01/2020 - 15:13

Data de atualização:

access_time 03/01/2020 - 16:13
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores da Europa recuaram nesta sexta-feira, com os investidores acompanhando os demais asiáticos com a tensão geopolítica instalada no Oriente Médio e Estados Unidos depois do ataque aéreo em Bagdá.

Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,33% aos 418.33 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,24% aos 7.622; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 1,25% a 13.219; o CAC 40 (Paris) ficou estável a 6.044; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,56% aos 23.702; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,46% a 9.646; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,45% a 5.242.

O general Qasem Soleimani, comandante militar mais poderoso do Irã, foi morto no ataque aéreo dos Estados Unidos no Iraque na noite desta quinta-feira, causando uma reviravolta nos mercados globais. O Pentágono disse que Soleimani estava “desenvolvendo ativamente planos para atacar diplomatas e militares americanos no Iraque e em toda a região”. O ataque reacendeu tensões geopolíticas com o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, prometendo “vingança severa”.

Os futuros de petróleo Brent dispararam para mais de 4%, o que acabou promovendo uma busca pelo preço do ouro, que subia mais de 1,50% para US $ 1,551,00 a onça.

Em Londres, as ações das companhias aéreas também recuaram forte, com os efeitos dos preços do petróleo. As da EasyJet caíram 3,6% e as da Ryanair recuaram 2,3%.

Por outro lado, as principais empresas de petróleo registraram ganhos sólidos, com a BP subindo 2,8% e a Royal Dutch Shell com 2%.

Analistas europeus de prontidão reafirmaram o mesmo que os demais ao redor do mundo, ou seja, um revide por parte dos países da região em conjunto com os aliados, como a China e a Rússia.

Na Alemanha, a taxa de inflação, medida pelo índice de preços ao consumidor, deve ser de 1,5% em dezembro de 2019. Em comparação com novembro de 2019, os preços ao consumidor devem aumentar 0,5%. Com base nos resultados disponíveis até o momento, o Departamento Federal de Estatística (Destatis) também informa que, em média anual, a taxa de inflação deverá ficar em 1,4% em 2019. Em dezembro de 2019, o índice harmonizado de preços ao consumidor para a Alemanha, calculado para fins europeus, deverá aumentar 1,5% ano a ano e 0,6% em novembro de 2019.

Veja mais detalhes aqui

Tradução ID de agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?