Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Vacina anima mercados asiáticos

Data de criação:

access_time 21/07/2020 - 09:45

Data de atualização:

access_time 21/07/2020 - 09:45
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados asiáticos, como os demais ao redor do mundo, também fecharam com ganhos nesta terça-feira. O humor renovado se deu com a esperança de uma vacina eficaz para combater a pandemia de coronavírus.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 2,31% aos 25.635. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,20% aos 3.320. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,72% a 2.232. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,73% aos 22.884. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,50% aos 2.629. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,39% a 2.228. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,37% os 37.930. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 1,83% aos 12.397. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 2,58% aos 6.156.

Nesta segunda-feira (20), o mundo ouviu a notícia muito aguardada sobre a COVID-19, que foi a resposta positiva de uma vacina. A gigante AstraZeneca e os cientistas da Universidade de Oxford relataram que sua vacina experimental contra o coronavírus provocou uma resposta imune protetora em centenas de pessoas que receberam uma dose inicial.

A descoberta é seguida por demais empresas, como uma em desenvolvimento pelos Institutos Nacionais de Saúde e Moderna Inc. dos Estados Unidos. A previsão é de que os testes finais ocorram até o dia 27 deste mês.

Enquanto, isso as populações asiáticas estão se adaptando ao “novo-normal”, com as economias reabertas, com pessoas fazendo compras e comendo fora, enquanto fazem distanciamento social e usam máscaras.

Recentemente, em Tóquio, o número de casos chegou a três dígitos num único dia, porém, o Japão não registra novas casos de mortes.

Em dia de agenda enfraquecida, o Japão apresentou o índice de preços ao consumidor, que ficou inalterados em junho em relação ao ano anterior.

O índice, que inclui derivados de petróleo, mas exclui os preços de alimentos frescos, ficou em 0,1% ao ano. Retirando o efeito de alimentos frescos e energia, os preços ao consumidor subiram 0,4% em junho em relação ao ano anterior. Os dados são do Governo do Japão.

*Ivonete Dainese com Associated Press

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?