Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street ajusta e volta para o negativo com Fed no radar

Data de criação:

access_time 04/03/2021 - 18:49

Data de atualização:

access_time 04/03/2021 - 18:49
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de Wall Street renovaram as perdas, a terceira consecutiva, nesta quinta-feira (04/03). Os investidores saíram liquidando as ações de tecnologia, movimento que começou nas operações da noite. A declarações do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, também pesaram nos desempenhos.

Ao final, o Dow Jones caiu 1,11% aos 30.923 pontos. O S&P ficou em queda de 1,34% aos 3.768 pontos. O Nasdaq caiu 2,11% aos 12.723 pontos.

O Nasdaq ficou novamente baixa, depois da queda de quase 3% na sessão regular de ontem, o que os analistas consideraram correção formal.

Hoje, os investidores descolaram também dos pedidos iniciais de auxílio-desemprego, que subiram mas ficaram bem abaixo das projeções dos analistas. O resultado deu alívio, depois que o relatório ADP, divulgado ontem, foi desanimador na oferta de trabalho no setor privado em fevereiro.

No dia, as atenções ficaram na fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. O presidente do Fed disse que manterá o programa de compras de ativos, as taxas de juros inalteradas, mas não fez nenhum comentário para conter as pressões inflacionárias e nem tão pouco os rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos.

“Powell não acalmou as preocupações com o aumento dos rendimentos dos títulos e isso deu aos mercados financeiros permissão para vender ações de tecnologia e manter a liquidação do mercado de títulos, o que elevou os rendimentos junto com o dólar. No geral, os comentários de Powell foram consistentes com o que disse no passado”, considerou o analista Sênior da OANDA em Nova York, Edward Moya.

O rendimento do Tesouro de 10 anos subiu para cerca de 1,55%, depois da fala de Powell, com aumento de mais de 50 pontos base em relação aos níveis de apenas um mês atrás.

As ações de tecnologia caíram, com os traders dando preferência para os papéis que já estão sendo beneficiados com uma reabertura econômica.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones ficaram as da Chevron, 0,88%, e as da American Express, alta de 0,06%. Na contramão ficaram as do Goldman Sachs, queda de 1,54%, e as do JP Morgan, queda de 1,54%.

Entre as grandes de tecnologia no vermelho ficaram a Apple, queda de 1,58%, a IBM, queda de 1,84%, a Intel Corp, queda de 2,62%, e a Microsoft Corp, queda de 0,36%.

Nos Estados Unidos, na semana encerrada em 27 de fevereiro, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego, ajustados sazonalmente, ficaram em 745 mil, alta 9 mil em relação ao nível revisado da semana anterior. Porém, o número ficou abaixo das projeções de 758 mil. A taxa de desemprego, ajustada sazonalmente, medida pelas solicitações foi de 3,0% para a semana encerrada em 20 de fevereiro, queda em 0,1 p.p em relação à taxa não revisada da semana anterior.

Trabalho

A produtividade do trabalho do setor empresarial não agrícola diminuiu 4,2% no quarto trimestre de 2020, conforme mostrou também o Departamento do Trabalho. A produção aumentou 5,5% e as horas trabalhadas subiram 10,1%. Entre o quarto trimestre de 2019 ao quarto trimestre de 2020, a produtividade do setor subiu 2,4%, refletindo um declínio de 2,6% na produção e um declínio de 4,9% em horas trabalhadas.

Já o Departamento de Comércio mostrou que os pedidos às fábricas aumentaram 2,6%, após alta de 1,6% em dezembro. Os pedidos aumentaram 1,3% em relação ao ano anterior. A manufatura, que responde por 11,9% da economia dos Estados Unidos, tem sido impulsionada pela forte demanda por bens, como eletrônicos e móveis, já que 23,2% da força de trabalho trabalha em casa por causa do vírus. A demanda pode, no entanto, voltar aos serviços no verão, à medida que mais americanos forem vacinados e diminuir a atividade de fabricação em relação aos níveis atuais.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?