Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street corrige com eleição e vacina

Data de criação:

access_time 10/11/2020 - 19:24

Data de atualização:

access_time 10/11/2020 - 19:24
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Depois de uma sessão com ganhos expressivos, os índices de peso de Wall Street corrigiram nesta terça-feira. Os resultados das eleições americanas, com os democratas Joe Biden e Kamala Harris sendo eleitos, permaneceram no foco. Entretanto, ainda repercute no cenário americano a informação sobre a vacina da Pfizer- BioNTech contra a Covid-19.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,90% aos 29.420 pontos. O S&P ficou em queda de 0,14% aos 3.545 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 1,37% a 11.553 pontos.

No campo político, o secretário de Estado, Mike Pompeo, foi questionado se o Departamento de Estado está se preparando para a transição de governo. Usando de ironia, Pompeo disse na coletiva de imprensa:  “Haverá uma transição suave para uma segunda administração Trump.”

Poe outro lado, as preocupações da recuperação econômica estão elevadas, já que os casos são crescentes de COVID-19 nos Estados Unidos. Analistas disseram que uma mudança monumental no posicionamento do mercado de ações poderia estar próxima, isso se mais remédios para COVID-19 e clareza em torno da eleição presidencial dos Estados Unidos obrigassem os investidores a reavaliar suas carteiras.

Entre as ações com ganhos nesta sessão ficaram as da Eli Lilly & Co, alta de 2,97%. As da Pfizer Inc recuaram 1,32% e as da BioNTech subiram 7,59%. As ações da American Airlines Group recuaram 6,21%.

As ações da Amazon caíram 3,45%, com a gigante enfrentando acusações antitruste na União Europeia. Entre as demais gigantes de tecnologia, a Microsoft viu as ações caindo em 3,38%, as do Facebook caíram 2,27% e as da Apple recuaram 0,30%. As ações do Netflix subiram 2,7%.

Nos Estados Unidos, o Índice de Otimismo NFIB permaneceu em 104,0 em outubro, inalterado desde setembro e uma leitura historicamente alta. Quatro dos 10 componentes melhoraram, 5 diminuíram e 1 permaneceu inalterado.

Embora todos os dados tenham sido coletados antes do Dia da Eleição, um aumento de 6 pontos no Índice de Incerteza do NFIB para 98 foi provavelmente causado pela eleição, condições incertas nos meses futuros devido à pandemia COVID-19 e possíveis fechamentos mandados pelo governo. A leitura de incerteza foi a maior desde novembro de 2016.

Nos Estados Unidos, o número de vagas de emprego pouco mudou em 6,4 milhões no último dia útil de setembro, informou o Departamento de Análises Econômicas. As contratações e as separações totais foram pouco alteradas em 5,9 milhões e 4,7 milhões, respectivamente.

Nos Estados Unidos, os americanos se tornaram modestamente pessimistas sobre as perspectivas de curto prazo para a economia, em meio ao aumento de casos de coronavírus e um lapso no estímulo fiscal, constata a pesquisa IBD / TIPP de novembro.

O índice de perspectiva econômica de seis meses recuou para 47, após registrar otimismo em outubro para o primeiro mês desde fevereiro.

O Índice de Otimismo Econômico IBD / TIPP geral retrocedeu para o nível neutro de 50, após subir para um otimismo sólido de 55,2 no mês anterior.

*Tradução ID de relatórios oficiais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?