Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street dispara com aportes para combater a COVID-19 e quadro político

Data de criação:

access_time 04/03/2020 - 18:53

Data de atualização:

access_time 04/03/2020 - 18:53
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A bolsa de Nova York voltou para os recordes nesta quarta-feira. A recuperação das perdas se deu com o investidor atento para as medidas emergenciais divulgadas pelos governos para tentar reduzir os impactos econômicos futuros promovidos pelo coronavírus.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 4,53% aos 27.090 pontos. O S&P ficou em alta de 4,22% a 3.130 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 3,85% aos 9.018 pontos.

Em paralelo aos incentivos anunciados no combate ao coronavírus, o mercado americano também ficou atento ao quadro político, depois da vitória do ex-vice-presidente Joe Biden nas primárias da Super Terça-feira.

O avanço para os mercados também acontece um dia depois que o Federal Reserve reduziu as taxas de juros de referência em 0,50 p.p para uma faixa de 1% a 1,25%, marcando o primeiro corte de emergência desde a crise financeira de 2008. O objetivo é o de combater preventivamente o impacto negativo do surto viral na mais importante economia do mundo.

As ações do UnitedHealth Group Inc subiram 10,75% e lideraram os ganhos do dia no Dow Jones, com analistas atribuindo os ganhos da empresa de assistência médica a Joe Biden, que ganhou força sobre o rival democrata Bernie Sanders. O senador de Vermont havia sido visto como menos amigável para o setor de saúde.

Mais, ainda hoje os Congressistas dos Estados Unidos chegaram a um acordo sobre o financiamento de uma proposta de aproximadamente US $ 8 bilhões para combater o coronavírus, informou o Wall Street Journal. Os legisladores devem aprovar mais de US $ 3 bilhões para o desenvolvimento de tratamentos para a COVID-19 e US $ 2,2 bilhões para contenção.

A recuperação das ações nesta quarta-feira ocorreu depois que o Fed sacudiu os mercados com um corte de 0,50 p.p que, embora os fundamentos da economia continuem fortes, o “coronavírus apresenta riscos crescentes para a atividade econômica”.

Hoje, o Banco Central do Canadá adotou a mesma medida do Fed e baixou a taxa pela metade de um 1 p.p para 1,25%

Já a diretora do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, disse que lançará um pacote de US $ 50 bilhões para ajudar a combater uma queda global, depois de notar anteriormente que ela “havia visto uma mudança para um cenário mais adverso” e sugeriu que o crescimento econômico global em 2020 poderia ficar abaixo da estimativa de 2,9% em 2019. O resultado seria uma queda de mais de 0,4% em relação à previsão anterior do FMI de 3,3% para este ano. Isso ocorre um dia depois que o Banco Mundial prometeu recursos da ordem de US $ 12 bilhões em fundos para países que combatem o coronavírus.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones ficaram as da UnitedHealth Group, alta de 10,72%, as da American Express, alta de 7,12%, as Pfizer, alta de 6,12%, as da 3M, alta de 6,02%, as da Coca-Cola, alta de 5,10%, e as da Apple, alta de 4,64%.

Nos dados econômicos dos Estados Unidos, o relatório ADP – Automatic Data Processing Inc -, que é a maior empresa de processamento de folhas de pagamento do país, relatou que os empregadores do setor privado adicionaram 183 mil novos empregos em fevereiro. O relatório serve como parâmetro para o do Departamento do Trabalho – Payroll, que será apresentado na sexta-feira.

OInstituto de Gerenciamento de Suprimentos – ISM informou que seu indicador de não fabricação em fevereiro subiu para 57,3%, ante 55,5% no mês anterior, sugerindo que o setor de serviços ainda não sentiu o impacto do coronavírus.

Já o Índice de Atividade de Negócios dos Serviços IHS Markit, ajustado sazonalmente, registrou 49,4 em fevereiro, inalterado em relação ao número ‘flash’, mas notavelmente abaixo dos 53,4 vistos no início do ano. A contração na produção foi apenas marginal em geral, mas foi a mais rápida em seis anos. As empresas atribuíram o declínio a condições de demanda doméstica menos robustas e uma queda adicional nas vendas de exportação

Tradução ID com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?