Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street fecha com pequenos ganhos puxado pelo Fed e coronavírus no foco

Data de criação:

access_time 29/01/2020 - 18:50

Data de atualização:

access_time 29/01/2020 - 18:50
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de peso de Wall Street fecharam com pequenos ganhos nesta quarta-feira. Embora com o radar no avanço do coronavírus, os investidores ficaram concentrados nos balanços financeiros, bem como na decisão do Federal Reserve mantendo a taxa de juros inalterada.

Ao final, o Dow Jones ficou estável aos 28.734 pontos. O S&P ficou em queda de 0,09% aos 3.273 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,06% aos 9.275 pontos.

No meio desta tarde, o Federal Reserve anunciou a manutenção da taxa de juros, que influencia os custos dos empréstimos. Além disso, na coletiva de imprensa, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que o banco central segue monitorando de perto a gravidade do coronavírus e o potencial da doença para mexer com a economia global. O presidente do Fed comparou o coronavírus ao surto de SARS em 2002-03, síndrome respiratória aguda grave. Atualmente, o vírus já matou 133 pessoas na China e infectou mais de 6.000.

Powell repetiu sua visão anterior de que os Estados Unidos estão crescendo a uma “taxa moderada”, enquanto a inflação permanece fora da meta de 2%. E, em uma ação separada, o Fed elevou uma taxa de juros especial para os bancos, visando garantir o bom funcionamento dos mercados financeiros e ajudar a instituição a controlar melhor as taxas de juros de curto prazo.

Powell caracterizou a mudança como um “pequeno ajuste técnico”. O Fed começou a comprar dezenas de bilhões de dólares em títulos do Tesouro no outono passado, após um aumento momentâneo em uma importante taxa de curto prazo nos mercados monetários.

O Fed emprestou bilhões de dólares ao mercado e também está expandindo seu balanço patrimonial através de US $ 60 bilhões em letras do Tesouro. Essa liquidez levou a taxa de empréstimos de curto prazo abaixo da faixa desejada pelo Fed, necessitando de uma pequena subida técnica.

Sobre os resultados financeiros, os investidores comemoraram os números da Apple e também do McDonald’s, que superaram as estimativas.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones ficaram as da Apple Inc., alta de 2,09%, as do McDonald’s Corp., alta de 1,92%, as da Boeing Co, alta de 1,72%, e as da Microsoft Co., alta de 1,56%. Na contramão ficaram as ações da United Tecnologies Corp., queda de 0,03%, as do JPMorgan Chase queda de 0,15%, as da Nike Inc., queda de 0,57%, e as da American Express Co., queda de 0,58%.

Entre as ações com ganhos no S&P ficaram as da L Brandes Inc., alta de 12,94%, as da General Electric Co., alta de 10,32%, e as da Progressive Corp., alta de 5,70%. Na contramão ficaram as ações da Xilinx Inc., queda de 10,70%, as da Hess Corp., queda de 6,92%, e as da Advanced Micro Devices Inc., queda de 5,98%.

Nos Estados Unidos, o Departamento de Censo anunciou as seguintes estatísticas avançadas de comércio internacional, estoque por atacado e varejo para dezembro de 2019:

O déficit comercial internacional foi de US $ 68,3 bilhões em dezembro, um aumento de US $ 5,3 bilhões em relação a US $ 63,0 bilhões em novembro. As exportações de produtos para dezembro foram de US $ 137,0 bilhões, US $ 0,4 bilhão a mais que as exportações de novembro.

As importações de bens para dezembro foram de US $ 205,3 bilhões, US $ 5,8 bilhões a mais que as importações de novembro. Os estoques de atacado para dezembro, ajustados pelas variações sazonais, mas não pelas variações de preço, foram estimados em um nível de US $ 675,6 bilhões no final do mês, uma queda de 0,1%.

Nos Estados Unidos, as vendas pendentes de casas caíram em dezembro, recuando depois de aumentarem ligeiramente em novembro, de acordo com a Associação Nacional de Corretores de Imóveis. O Índice de Vendas Residenciais Pendentes (PHSI), um indicador prospectivo baseado em assinaturas de contratos, caiu 4,9%, para 103,2 em dezembro. As contratações ano a ano aumentaram 4,6%. Um índice de 100 é igual ao nível de atividade do contrato em 2001.

Todos os índices regionais caíram em dezembro. O PHSI do nordeste caiu 4,0% para 92,4 em dezembro, 0,1% abaixo do que no ano anterior. No Centro-Oeste, o índice caiu 3,6%, para 98,8 no mês passado, 1,3% a mais que em dezembro de 2018.

As vendas pendentes de residências no Sul diminuíram 5,5%, para um índice de 118,1 em dezembro, um aumento de 7,4% em relação a dezembro de 2018. O índice no Ocidente caiu 5,4% em dezembro de 2019 para 93,1, um aumento de 7,0% em relação ao ano anterior.

Tradução ID de agências e relatórios internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?