Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street fecha em alta e no negativo na semana

Data de criação:

access_time 24/04/2020 - 20:12

Data de atualização:

access_time 24/04/2020 - 20:12
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de peso de Wall Street recuperaram as perdas nas negociações desta sexta-feira. Os investidores digeriam dados econômicos, com resultados corporativos mistos e com o mais recente pacote de ajuda econômica do Congresso para combater a pandemia do COVID-19.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 1,11% aos 23.775 pontos. O S&P ficou em alta de 1,39% aos 2.836 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 1,65% aos 8.634 pontos. Na semana, o Dow caiu 1,9%, o S&P 500 caiu 1,3% e o Nasdaq recuou 0,2%. Os declínios na semana foram os primeiros das últimas três.

No contraponto ficou o índice Russell 2000, de pequena capitalização, em alta de 1,56% e ficou com ganho semanal de 0,3%.

Na semana, as ações ficaram estáveis, mas nesta sexta-feira os investidores apostaram nas compras das ações de tecnologia e atentos para o lado corporativo. Ainda no radar permaneceu o comportamento dos preços do petróleo, que afundou para níveis negativos em mais de 100 anos ao longo da semana.

Os investidores também ficaram animados nesta sexta-feira, depois do presidente Donald Trump ter afirmando que logo assinará a Lei tão esperada com o pacote de US $ 484 bilhões para combater o coronavírus, que inclui uma segunda rodada de financiamento para pequenas empresas no âmbito do Paycheck Protection Plan, ou PPP.

A medida contém US $ 320 bilhões para ajudar pequenas empresas, US $ 75 bilhões para hospitais, US $ 25 bilhões para testes de coronavírus e US $ 60 bilhões para o programa de Empréstimo para Desastres Econômicos da Small Business Administration.

Por fim, os números da pandemia de coroavírus ainda estão aumentando em território americano e já reforçam a probabilidade de uma das maiores recessões da histórica

Nos Estados Unidos, os pedidos de bens duráveis ​caíram 14,4% em março, a última leitura sombria para refletir a queda na atividade devido à pandemia do COVID-19.

Nos Estados Unidos, o sentimento do consumidor caiu pelo terceiro mês consecutivo, à medida que a pandemia de coronavírus avança e a possibilidade de uma reabertura econômica. O índice de confiança do consumidor caiu para 71,8 em abril, ante 89,1 em março. Os dados são da Universidade de Michigan.

*A bolsa de Nova York segue operando no remoto.

Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?