Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street fecha em alta e Trump declara Emergência Nacional

Data de criação:

access_time 13/03/2020 - 17:49

Data de atualização:

access_time 13/03/2020 - 17:49
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A bolsa de Nova York voltou para o campo positivo nesta sexta-feira, com o investidor tentando reparar as perdas das últimas sessões. Ainda hoje, era aguardado um novo pronunciamento do presidente Donald Trump, que acabou ocorrendo pouco antes do fechamento dos mercados. O presidente declarou os Estados Unidos em Emergencial Nacional.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 9,36% aos 23.185 pontos. O S&P ficou em alta de 9,29% aos 2.711 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 9,34% aos 7.874 pontos. O índice Russell 2.000, que mede o comportamento das small caps, ficou em alta de 7,66% a 1.208 pontos. Por fim, o índice VIX, que mede o estresse do mercado, ficou em queda de 24,12% aos 57,27 pontos.

No meio desta tarde, o presidente Donadl Trump declarou emergência nacional, ato que concede a ele certos poderes especiais e temporários para enfrentar uma crise que ameaça o país e exige uma resposta imediata. A Constituição estabelece que nenhum dinheiro poderá ser desviado do Tesouro sem uma lei aprovada no Congresso.

O presidente anunciou também um aporte de US$50 bilhões para socorrer os estados com os maiores casos de coronavírus. “Peço aos médicos para atender os pacientes. Falei com o governador de Nova York para atender os pacientes. Estou dando capacidade para todas as autoridades no atendimento”, disse Trump.

Serão suspensas regras para hospitais e o governo vai contratar novos médicos. Além disso, depois de tratar com chefes de laboratórios na Casa Branca, o presidente disse que serão disponibilizados testes, através de uma parceria com o setor privados. Serão disponibilizados quase um milhão e meio de testes. ” Quero agradecer a Roche, que tem nos ajudado. Nós não queremos que todos façam os testes, somente com os sintomas. Vamos passar por isso e aprendemos muito”, reiterou o presidente.

Trump esboçou alguns dos planos para ajudar a limitar o impacto do surto viral que reduziu a atividade pessoal e profissional. Ele disse que pedia isenção de juros em todos os empréstimos estudantis e instruiu o secretário de Energia dos Estados Unidos a comprar “grandes quantidades” de petróleo bruto, depois que uma guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia provocou uma queda no mercado.

Ainda sobre as medidas, o presidente Trump colocou restrições para viagens da Europa para os Estados Unidos.

Já na semana, a injeção de recursos de US$1,5 trilhão veio pelo Federal Reserve. A ideia do Fed era de manter a liquidez fluindo nos mercados financeiros e a expansão de seu balanço patrimonial através da compra de títulos do governo.

O preço do petróleo, que colocou em risco o balanço do setor de óleo de xisto altamente endividado e aumentou os problemas para os mercados financeiros que já estão sofrendo com o surto de COVID-19, a doença infecciosa que foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na China, em dezembro infectou mais de 128.000 pessoas em mais de 100 países.

No Dow Jones, Intel Corp, alta de 19,52%; American Expresse Co, alta de 19,24%; JPMorgan Chase, alta de 18,01%; Goldman Sachs, alta de 17,58%; Microsoft Corp, alta de 14,22%; e Apple Inc, alta de 11,98%.

Nos S&P ficaram as ações da Lincoln National Corp, alta de 23,49%; Coty Inc., alta de 23,33%; Ameriprise Financial Inc., alta de 23,33%; e Oracle Corp., alta de 20,43%

Nos Estados Unidos, os preços de importação caíram 0,5% em fevereiro, informou o Departamento de Estatísticas, depois de 0,1% em janeiro. Em fevereiro, a queda nos preços dos combustíveis importados mais do que compensou os preços mais altos das importações não combustíveis. Os preços das exportações dos Estados Unidos caíram 1,1% em fevereiro, depois de avançar 0,6% no mês anterior.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?