Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street fica sem direção com COVID-19 e os remédios

Data de criação:

access_time 23/04/2020 - 19:10

Data de atualização:

access_time 23/04/2020 - 19:10
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de Wall Street fecharam estáveis nesta quinta-feira, depois dos ganhos na primeira etapa da sessão. As dúvidas lançadas sobre o possível tratamento de coronavírus por Gilead, da GILD, que havia surtido efeitos positivos nos pacientes, acabaram por tirar o humor para o risco.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,17% aos 23.515 pontos. O S&P ficou estável aos 2.797 pontos. O Nasdaq fechou estável aos 8.494 pontos.

O estudo chinês para o uso do antiviral da Gilead produziu resultados que não deram conclusões significativas sobre sua eficácia, de acordo com um relatório do Financial Times, citando documentos da Organização Mundial da Saúde – OMS divulgados acidentalmente. O estudo lançou o teste como um fracasso, mas empresa contestou a caracterização dos resultados do teste.

Um porta-voz da OMS confirmou que à mídia que o manuscrito está passando por uma revisão por pares e foi publicado por acidente.

No início deste mês, as autoridades chinesas haviam interrompido dois ensaios para o remdesivir, dizendo que não havia pacientes suficientes para se inscrever totalmente nos estudos. O remdesivir é um dos muitos medicamentos testados como um tratamento potencial para pacientes com COVID-19 de grave a moderado e amplamente considerado um dos pioneiros nos esforços para tratar a doença.  Com isso, as ações da Gilead subiram 18,8% no acumulado do ano e caíram 13,3% no S&P.

Os investidores também digeriram o relatório inicial de auxílio-desemprego. Os dados representaram a quinta semana consecutiva em que novas reivindicações publicaram uma impressão de sete dígitos, mas o número de novas reivindicações diminuiu nas últimas três semanas.

A recuperação nos preços do petróleo ajudou a puxar as ações das empresas do setor no Dow Jones. Entre as ações ficaram as da Exxon Mobil, alta de 3,13%, e as da Chevron, alta de 2,79%.

Ainda no índice estavam as da Boeing, alta de 2,05%, e as da Caterpillar, alta de 2,05%. Na contramão ficaram as ações do McDonald’s, queda de 2,38%, as da Nike, queda de 1,60%, e as do Walmart, queda de 2,33%.

Nos Estados Unidos, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego para a semana fechada em 18 de abril subiram e avançando na série histórica. Foram 4,427 milhões de novas solicitações, com o total das últimas cinco semanas em alta de 26,4 milhões. Os dados são do Departamento do Trabalho norte-americano e foram apresentados nesta quinta-feira.

Nos Estados Unidos, as vendas de casas novas unifamiliares em março de 2020 estavam com uma taxa anual ajustada sazonalmente de 627 mil, de acordo com estimativas divulgadas hoje em conjunto pelo Census Bureau e pelo Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Esse resultado está 15,4% (± 14,8%) abaixo da taxa revisada de fevereiro de 741 mil e 9,5% (± 14,6%) abaixo da estimativa de março de 2019 de 693 mil. O preço médio de venda das novas casas vendidas em março de 2020 era de 321.400. O preço médio de venda foi de US $ 375.300. A estimativa da oferta de novas casas para venda no final de março, ajustada sazonalmente, era de 333.000. Isso representa um suprimento de 6,4 meses à taxa de vendas atual.

*A bolsa de Nova York segue operando no remoto.

Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?