Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street fica sem direção com setor de trabalho e COVID-19

Data de criação:

access_time 18/06/2020 - 18:58

Data de atualização:

access_time 18/06/2020 - 18:58
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de Wall Street fecharam sem direção nesta quinta-feira, com os indicadores econômicos e a COVID-19 no radar. O Dow Jones não teve força para avançar.

Ao final, o Dow Jones ficou em queda de 0,15% aos 26.080 pontos. O S&P ficou em alta de 0,06% aos 3.115 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,33% aos 9.943 pontos.

Nesta quinta-feira, os investidores digeriram o relatório dos pedidos iniciais de auxílio desemprego, que mostraram 1,5 milhão de novas aplicações na semana fechada em 13 de junho.

Os economistas também observaram as reivindicações contínuas, que devem começar a diminuir depois do pico de meados de maio, já que vários estados estão permitindo as reaberturas das atividades comerciais.

Entre as ações em destaques ficaram as do Facebook, alta de 0,17%, ao declarar que removeu os anúncios da campanha de reeleição do presidente Donald Trump porque quebraram a política da empresa que é contra o “ódio organizado”.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones ficaram as da Travelers, alta de 1,07%, as da Microsoft, alta de 1,07%, as da Coca-Cola, alta de 0,88%, e as da Procter&Gamble, alta de 1,14%. Na contramão ficaram as ações da American Express, queda de 1,73%, as do Goldman Sachs, queda de 1,14%, as da Pfizer, queda de 0,95%, e as do Walmart, queda de 0,87%.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos para a semana fechada em 13 de junho, com ajuste sazonal, ficaram em 1.508 milhão, queda em 58 mil em relação ao nível da semana anterior. Os dados são do Departamento do Trabalho.

Nos Estados Unidos, o índice de difusão para a atividade geral do Federal Reserve da Filadélfia aumentou da queda de 43,1 em maio para 27,5 neste mês, sua primeira leitura positiva desde fevereiro. Até 46% das empresas relataram aumentos neste mês (acima dos 15% no mês passado), enquanto 19% relataram reduções (abaixo de 58%).

Nos Estados Unidos, o Índice Econômico Líder da Conference Board subiu 2,8% em maio para 99,8, depois do declínio de 6,1% em abril e um declínio de 7,5% em março.

O Índice Econômico Coincidente do Conference Board (CEI) subiu 1,1% em maio para 95,3, depois de um declínio de 10,4% em abril e um declínio de 2,2% em março.

O Índice Econômico de Retardo da Conference Board (LAG) caiu 1,9% em maio para 111,4, depois de um aumento de 1,7% em abril e um aumento de 2,4% em março.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?