Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street mantém esperando pela assinatura do acordo comercial “Fase 1”

Data de criação:

access_time 14/01/2020 - 18:56

Data de atualização:

access_time 14/01/2020 - 18:56
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A bolsa de Nova York fechou sem direção nesta terça-feira. O que se viu foi a cautela com o início da temporada de balanços e para os indicadores econômicos. Entretanto, o foco maior está na assinatura do acordo comercial entre a China e os Estados Unidos programada para amanhã.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,11% aos 28.939 pontos. O S&P ficou em queda de 0,15% aos 3.283 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 0,24% aos 9.251 pontos.

O índice principal, o Dow Jones, ficou no azul e os demais registraram perdas modestas.Os investidores analisaram os resultados das gigantes financeiras, que hoje deram o pontapé inicial na temporada referente ao quarto trimestre de 2019.

As ações do Citigroup Inc ficaram com ganhos de 1,6%, as do JPMorgan Chase & Co subiram 1,17%. Os resultados da Wells Fargo & Co. decepcionaram e as ações do banco caíram.

De outro lado, os negócios de hoje foram pautados pela crescente expectativa para o acordo comercial entre os Estados Unidos e a China, que deve ser assinado amanhã (15)

No Dow Jones, as ações da Pfizer Inc. subiram 1,67%, as da Walt Disney Co. subiram 0,92% e as da Nike Inc. avançaram 0,74%. Na contramão ficaram as da Caterpillar Inc, queda de 0,10% e as da Coca-Cola, queda de 0,23%.

No S&P, as ações da Perrigo Co. subiram 12,60%, as da Apache Corp. subiram 4,94% e as da Delta Air Lines subiram 3,29%. Na contramão ficaram as ações da Boston Scientific Corp, queda de 6,18%, e as do Wells Fargo & Co, queda em 5,39%.

Os indicados econômicos apresentados hoje também ajudaram, como o Índice de Otimismo caiu 2 pontos em dezembro, para 102,7, uma leitura historicamente forte e logo abaixo da média do ano. Os pequenos negócios terminaram mais um ano aproveitando ao máximo os fortes gastos dos consumidores e os benefícios fiscais e regulatórios federais. A expansão econômica continua sua corrida histórica ao entrar em 2020. Seis dos 10 componentes do Índice caíram, dois melhoraram e dois não foram alterados.

O Índice de Preços ao Consumidor para Todos os Consumidores Urbanos (CPI-U) subiu 0,2% em dezembro, com ajuste sazonal, depois de subir 0,3% em novembro, informou hoje o Departamento de Estatísticas do Trabalho dos Estados Unidos. Nos últimos 12 meses, o índice de todos os itens aumentou 2,3% antes do ajuste sazonal.

O Índice de Otimismo Econômico do IBD / TIPP, uma das principais pesquisas nacionais sobre confiança do consumidor, continuou refletindo a positividade em janeiro, subindo 0,7%, para 57,4.

Apesar de um leve declínio no componente Perspectivas Econômicas de Seis Meses, o índice manteve seu recorde em território positivo, permanecendo acima de 50,0 por 40 meses consecutivos. Uma leitura de índice abaixo de 50,0 para os índices IBD / TIPP indica pessimismo.

O Índice de Otimismo Econômico do IBD / TIPP estabeleceu um forte histórico de prenúncio dos indicadores de confiança emitidos no final de cada mês pela Universidade de Michigan e pelo The Conference Board. O IBD / TIPP conduziu sua pesquisa nacional por telefone com 901 adultos de 03 a 11 de janeiro, usando entrevistadores ao vivo e números de telefone celular e de telefone fixo. A margem de erro é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Tradução ID de agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?