Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street recua com a Califórnia retomando o isolamento

Data de criação:

access_time 13/07/2020 - 19:28

Data de atualização:

access_time 13/07/2020 - 19:28
format_align_left 1 minuto de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de Wall Street recuaram na reta final das negociações desta segunda-feira. As ações das empresas de tecnologia escorregaram e levaram o Nasdaq em mais de 2%.

A cautela tomou conta dos investidores depois que o governador da Califórnia, Gavi Newsom, ordenou novamente que cada município providencie que bares, restaurantes, lojas, shoppings, cinemas, entre outros, voltem com o isolamento social por conta do avanço do coronavírus.

Ao final, o Dow Jones ficou estável aos 26.085 pontos. O S&P ficou em queda de 0,94% aos 3.155 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 2,13% aos 10.390 pontos.

O bom humor, em grande parte das negociações desta segunda-feira, estava por conta da decisão da Food and Drug Administration – FDA, que concedeu à Pfizer Inc e a BioNTech o “fast track”,  que é um processo para agilizar a revisão e o desenvolvimento de novos medicamentos para a vacina COVID-19. As ações da Pfizer fecharam com ganhos de 4,1%, enquanto as da BioNTech subiram 10,6%.

Por outro lado, o início da temporada de balanços financeiros já está na cabeça do investidor, com os gigantes Citigroup, JPMorgan e Wells Fargo reportando.

Nesta sessão, as ações da Ford Motor caíram 0,7% depois que a montadora disse que os clientes que compram ou alugam veículos novos através do Ford Credit podem devolvê-lo no primeiro ano se perderem o emprego.

A agenda local estava vazia.

*Por Ivonéte Dainese de relatórios oficiais e com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?