Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street renova alta mesmo sem acordo ainda no Congresso

Data de criação:

access_time 06/08/2020 - 19:02

Data de atualização:

access_time 06/08/2020 - 19:02
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de peso na bolsa de Nova York renovaram os ganhos nesta sessão, apesar da falta de acordo entre os congressistas sobre o pacote emergencial de US$1 trilhão. Entretanto, os balanços financeiros seguem movimentando as análises dos investidores, com as empresas do setor de tecnologia puxando o Nasdaq para cima dos 11 mil pontos.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,68% aos 27.386 pontos. O S&P ficou em alta de 0,64% aos 3.349 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 1,00% aos 11.106 pontos.

Hoje, um ponto de discussão foi renovado entre os congressistas americanos. É que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego para a semana fechada em 01 de agosto recuaram, conforme mostrou o Departamento do Trabalho. Já outro ponto importante para a decisão será a divulgação do Payroll amanhã, com o presidente Donald Trump já anunciando que o número será “grande” e reafirmou que poderia emitir ordens executivas sobre algumas medidas de alívio.

Já o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disseram que continuam otimistas quanto a um acordo. A deputada disse que “há luz no fim do túnel”, mas democratas e republicanos ainda não concordam com os números finais.

“Se o Congresso não conseguir, o presidente dos Estados Unidos o fará”, disse à CNN o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, nesta quarta-feira (05). Trump reiterou em entrevista coletiva: “estamos negociando agora, enquanto falamos, e veremos como isso funciona.”

Nesta quinta-feira, em meio às discussões, uma boa notícia veio do Departamento de Estado, em coordenação com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, de que estava suspendendo as viagens internacionais para americanos, medida que estava em vigor desde março por causa da pandemia do COVID-19.

Enquanto isso, sinais de crescimento nas tensões entre os Estados Unidos e a China ficaram evidentes. O secretário de Estado, Mike Pompeo, pediu que às empresas americanas que considerem reter seus aplicativos em telefones fabricados pela chinesa Huawei Technologies, segundo analistas. Os comentários surgem quando os Estados Unidos ameaçam proibir o aplicativo de entretenimento pertencente à China, o TikTok, a menos que a Microsoft Corp possa fazer um acordo para comprar toda ou parte da empresa da ByteDance. O presidente Trump deu prazo para que o negócio seja fechado até o próximo dia 15.

De volta aos mercados, as ações da ViacomCBS Inc subiram 3,4%, depois que a empresa registrou lucro e vendas acima do esperado no segundo trimestre.

Nos Estados Unidos, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego, para a semana fechada em 01 de agosto, ficaram em 1.186 milhão, com recuo em 249 mil e ajuste sazonal. O resultado é no comparativo com a semana anterior, conforme mostrou o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos nesta manhã.

Nos Estados Unidos, os cortes de empregos anunciados pelos empregadores norte-americanos saltaram em julho para 262.649, o terceiro maior total mensal já atrás dos 671.129 de abril e dos 397.016 de maio, de acordo com um relatório mensal divulgado quinta-feira pela empresa global de outlets e coaching de negócios e coaching executivo Challenger, Gray & Christmas, Inc.

*Por Ivonéte Dainese de relatórios oficiais e com agências

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?