Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street renova ganhos com mais acordos comerciais e temporada de balanços

Data de criação:

access_time 16/01/2020 - 18:39

Data de atualização:

access_time 16/01/2020 - 18:39
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A bolsa de Nova York renovou a alta nesta quinta-feira, com novos recordes intraday, depois da assinatura do acordo entre os Estados Unidos e a China. A área comercial foi reforçada com a aprovação do Senado americano de um novo acordo com o México e o Canadá nesta quinta-feira.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,92% aos 29.297 pontos. O S&P ficou em alta de 0,84% aos 3.316 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 1,06% aos 9.357 pontos.

Sob os termos do acordo comercial da “Fase 1”, a China deverá comprar US $ 95 bilhões a mais em commodities dos Estados Unidos do que em 2017 e cerca de US $ 100 bilhões a mais em bens e serviços manufaturados, mas os investidores têm algumas dúvidas sobre  um acordo duradouro, à medida que as duas maiores economias do mundo passarem para a “Fase 2” das negociações.

Hoje, o Senado dos Estados Unidos aprovou esmagadoramente o Acordo EUA-México-Canadá, enviando o pacto ao presidente Donald Trump para assinatura, isso um dia depois do acordo comercial com a China.

Fora das relações comerciais, os participantes do mercado digeriram uma nova rodada de relatórios de ganhos corporativos, com ações do Morgan Stanley subindo 7%, depois que banco de investimento reportou ganhos e vendas no quarto trimestre acima das expectativas. Com esse resultado, os analistas destacam uma temporada de balanços positiva para as indústrias de serviços financeiros.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones ficaram as da Cisco Systems Inc, alta de 2,17%, as do Goldman Sachs Group Inc, alta de 1,84%, as da Caterpillar Inc, alta de 1,58% e as da Apple Inc, alta de 1,25%. Na contramão ficaram as da Pfizer Inc, queda de 0,15% e as da Exxon Mobil Corp, alta de 0,39%.

Nos Estados Unidos, o índice de confiança mensal da Associação Nacional de Construtores de Casas caiu um ponto para 75 em janeiro em relação aos 76 do mês anterior, informou o grupo comercial nesta quinta-feira. O número do mês anterior representou a maior leitura de índice desde junho de 1999. Leituras de índice acima de 50 indicam que a confiança está melhorando, enquanto uma figura abaixo desse limite sinalizaria o contrário.

Nos Estados Unidos, a atividade de manufatura na região aumentou este mês, de acordo com os resultados da Pesquisa de Perspectivas de Negócios de Manufatura de janeiro DO Federal Reserve da Filadélfia. O índice de difusão para a atividade geral atual aumentou quase 15 pontos este mês, de uma leitura revisada de 2,4 em dezembro para 17,0. A porcentagem de empresas que relatam aumentos (39%) foi maior que a porcentagem de reduções (22%).

Nos Estados Unidos, o preço no setor varejista subiu 0,3%, correspondendo ao ganho revisado do mês anterior, e subiu 5,8% em relação a dezembro de 2018, mostraram números do Departamento de Comércio nesta quinta-feira. As vendas mais fortes ocorreram em todas as principais categorias, exceto nas concessionárias de veículos automotores. Excluindo automóveis, as compras no varejo aumentaram 0,7% em relação ao mês anterior, o maior número desde julho.

As vendas de varejo do “grupo de controle” observadas de perto aumentaram 0,5%, logo acima da previsão mediana em uma pesquisa. A medida principal exclui serviços de alimentação, revendedores de automóveis, lojas de materiais de construção e postos de gasolina, dando uma melhor noção da demanda subjacente do consumidor.

Tradução ID de agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?