Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street sustenta novo recorde com Fed e controle no COVID-19

Data de criação:

access_time 12/02/2020 - 19:27

Data de atualização:

access_time 12/02/2020 - 19:27
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de peso de Wall Street voltaram para os recordes nesta quarta-feira, com os investidores mais tranquilos pelos sinais de desaceleração no número de novos casos de COVID-19 – uma cepa de coronavírus que surgiu em Wuhan, na China, no final do ano passado. Além disso, a apresentação do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, aos senadores americanos também pesou no desempenho.

Ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,94% aos 29.5516 pontos. O S&P ficou em alta de 0,65% aos 3.379 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,90% aos 9.725 pontos.

Pelo segundo dia consecutivo os investidores acompanharam o depoimento no Congresso americano do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. Perante o Comitê Bancário do Senado, Powell disse que o Fed tinha duas ferramentas de combate à recessão: comprar títulos do governo em um esforço para reduzir as taxas de juros de longo prazo, uma estratégia conhecida como flexibilização quantitativa; e comunicar-se claramente com os mercados sobre o caminho da política de taxas de juros.

Nesta quarta-feira, a Comissão Nacional de Saúde da China informou que 2.015 novos casos da doença causados ​​pela nova infecção viral foram registrados nas últimas 24 horas, diminuindo pelo segundo dia. Isso elevou o número de casos na China continental para 44.653, embora especialistas tenham alertado que um número substancial pode ter sido incontável. A comissão disse que houve 97 mortes adicionais pelo vírus nas últimas 24 horas, elevando o total do continente para 1.113.

Enquanto muitos analistas atribuem ganhos de mercado, embora ao ritmo mais lento, alguns afirmam que a reação positiva pode ser prematura quanto ao controle da doença.

As seguradoras de saúde saltaram com a vitória de Bernie Sanders na primária New Hampshire, que foi vista como reforço nas chances de o presidente Donald Trump ser reeleito. As ações da Humana Inc subiram 4,7% e as da UnitedHealth Group Inc subiram 4,36%.

Ainda no Dow Jones, as ações da Nike subiram 2,98%, as da Caterpillar subiram 2,50%, as da Apple avançaram 2,37%. Na contramão ficaram as da Coca-Cola, queda de 0,30%, as da Procter & Gamble, queda de 0,57%, e as da Verizon Communications, queda de 0,78%.

As entradas de insumos de petróleo nas refinarias dos Estados Unidos ficaram, em média, a 16,0 milhões de barris por dia durante a semana fechada em 07 de fevereiro de 2020, ou seja, 48 mil barris por dia a mais do que a média da semana anterior. Os dados são da Agência de Energia norte-americana.

Os estoques comerciais de petróleo bruto dos Estados Unidos (excluindo os da Reserva Estratégica) aumentaram 7,5 milhões de barris em relação à semana anterior, ou seja, acima dos 3,1 milhões de barris estimados. Em 442,5 milhões de barris, os estoques de petróleo bruto estão cerca de 2% abaixo da média de cinco anos para esta época do ano. O estoque total de petróleo comercial caiu em 1,0 milhão de barris na semana passada.

Tradução ID de agências e relatórios internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?