Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street volta para o azul com vacinas e Federal Reserve

Data de criação:

access_time 26/03/2021 - 11:45

Data de atualização:

access_time 26/03/2021 - 11:46
format_align_left 1 minuto de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de peso de Wall Street operam com ganhos nesta sexta-feira (26/03). Os investidores estão voltados para a agenda econômica e digerindo as declarações do presidente Joe Biden, que fez sua primeira coletiva de imprensa ontem e anunciou mais uma meta de vacinação para os americanos.

Pesa ainda a decisão do Federal Reserve, que anunciou ontem que as restrições temporárias e adicionais sobre os dividendos da holding bancária e recompra de ações atualmente em vigor terminarão para a maioria das empresas depois de 30 de junho, depois da conclusão da atual rodada de testes de estresse. As empresas com níveis de capital acima do exigido pelo teste de estresse não estarão mais sujeitas às restrições adicionais a partir dessa data. As empresas com níveis de capital abaixo do exigido pelo teste de estresse permanecerão sujeitas às restrições.

Há pouco, o Dow Jones seguia em alta de 0,73% aos 32.857 pontos. O S&P opera em alta de 0,72% aos 3.937 pontos. O Nasdaq seguia em alta de 0,64% aos 13.061 pontos.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones estavam as Nike, Intel Corp, Caterpillar, Cisco, Goldman, Visa, JP Morgan. Na contramão estavam as ações do cDonald’s, Procter & Gamble e Walmart.

Nos Estados Unidos, a renda pessoal caiu US$ 1,516,6 bilhões (7,1%) em fevereiro, de acordo com estimativas divulgadas hoje pelo Departamento de Análises Econômicas.

A renda pessoal descartável (DPI) caiu US $ 1,532,3 bilhões (8,0%) e as despesas de consumo pessoal (PCE) caíram em US $ 149.0 bilhões (1,0%).

O DPI real recuou 8,2% em fevereiro e o PCE real perdeu 1,2%; os bens de consumo caíram 3,3% e os serviços recuaram 0,1%. O índice de preços PCE subiu 0,2%. Excluindo alimentos e energia, o índice de preços PCE subiu 0,1%.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?